novembro 08, 2015

Um alguém chamado saudade

wood, bench, park, leaves, fall, autumn, nature
Fonte da imagem aqui

Oi, 
Sei que faz tempo que a gente não conversa, mas eu quis arriscar tudo e colocar todo o meu orgulho de lado para vir aqui falar com você, eu poderia ter me mantido em silêncio, como eu sempre fiz, porém meu coração já não suporta mais guardar estas coisas, eu precisava desabafar e é isso que eu vou fazer. Bom, agora que já não doí tanto falar no assunto, posso dizer que finalmente eu pude me sentir livre de toda culpa sabe? Não foi e não tem sido fácil, porém agora eu finalmente coloquei o fim em uma história á dois que só existiu pra mim.

Pra ser sincera eu gostei de você de verdade e bem mais do que eu poderia imaginar, pode ser que eu ainda goste um pouco, mas como uma saudade que só vai diminuindo a cada amanhecer. Posso dizer que eu me joguei de um penhasco, ao acreditar nas tuas frases feitas, ao confiar em você, ao te dar uma segunda chance. Doeu e como doeu cair de cara no chão com a expectativa de que você estaria lá em baixo para me segurar.

Foi você, com teu jeito sem jeito, com seu sorriso tímido e com os olhos castanhos claros, que me fez viver um dos melhores momentos da minha vida. Acredito que você nunca imaginou o quanto tu foste importante para o meu amadurecimento e autoconhecimento, nem quanto eu tremia e o meu coração acelerava ao te encontrar. Aposto que nem imagina a saudade que eu carrego agora dentro de mim, todos os dias, das tuas mensagens que enchiam a caixa de entrada do meu celular, nem a quantidade de sorrisos que cada uma delas me arrancava. Não imagina a saudade que eu sinto de tudo que vivemos, ao pensar em você todas as noites. Não imagina como era incrível olhar cada detalhe teu e te abraçar só para sentir o teu perfume e o teu corpo junto ao meu.

Não posso te prometer que este será meu último texto sobre nós, pois provavelmente não é, mas mesmo assim peço que não esqueça destas palavras, peço que não se esqueças dessa garotinha aqui que te amou e quis somente a ti, quis você desde o nascer ao por do sol. Que escreveu canções, poesias e rimas dedicadas ao homem incrível que enxerga em ti.

Enfim, antes que você se canse desse texto quero desejar a você o melhor que o mundo pode oferecer, desejo que você encontre um amor que te faça feliz, como eu sempre sonhei em fazer, e que tu não permitas que te façam o que tu fizeste comigo. Ah, e que você possa sorrir muito, dar gargalhadas, pois assim como li num texto dia desses, "a cada sorriso teu o mundo fica ainda mais bonito". E para finalizar, preciso admitir que você tem sido o alguém que eu vivo por aí chamando de saudade. Obrigada por ter me feito feliz enquanto pôde. 
Com amor, seu bem.

Este post faz parte da Blogagem Coletiva do Liga Blogesfera.


Me acompanhe nas redes sociais

8 comentários:

  1. Que texto lindo! Me lembrou muito minha fase da adolescência e da minha história com meu namorado, que agora é meu marido. As pessoas vêm, vão, deixam e levam tristezas e alegrias, e fica esse sentimento de saudade, que dói, mas é preciso viver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que seu namorado da adolescência se tornou seu marido ♥ Felicidades, tá? Verdade Dani, mas com o tempo a gente acostuma essas idas e voltas. Obrigada ♥

      Excluir
  2. Que texto lindoo ! Você escreve muito bem *-*
    beijinhos

    stay-creepy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu estou nesse grupo também mas não participei da blogagem coletiva! Lindo demais o seu texto, você escreve muito bem!
    Beijos, flor!

    http://vacasmagras.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *o* Muito obrigada! Da próxima tenta participar ♥ Beijos

      Excluir
  4. Adorei demais seu texto, acho que já reli umas três vezes hahaha.

    Beijos!
    https://umlivroqueeunaoli.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Pessoinha, obrigada por deixar seu comentário! Lembrando que não gosto de spans, ok? Nada de "Seguindo, segue de volta?" Se você deixar o link do seu blog, eu vou visitar e se eu gostar vou seguir ♥ Beijos!

 
∴ Aventuras Literárias 2016 - 2018 ∴ © Todos os direitos reservados // Créditos // voltar para o topo